A evolução e consequente adesão dos veículos elétricos, tem percorrido um longo caminho num curto espaço de tempo, e já não estão limitados a pequenos veículos de passageiros com um alcance limitado.

A compra de veículos elétricos cresceu exponencialmente nos últimos cinco anos. Mesmo durante o pico depandemia COVID-19, quando as vendas de veículos caíram 16% a uma escala global, as vendas de veículos elétricos cresceram 41%.

Um relatório recente da BloombergNEF declarou que “existem 12 milhões de VEs de passageiros, um milhão de VEs comerciais e mais de 260 milhões de veículos elétricos de duas e três rodas em todo o mundo.”

Com a implementação de campanhas e medidas de emissão zero, o aumento do foco na abordagem às
mudanças climáticas por parte dos governos, é expectável que o número de Ves continue a aumentar,
oferecendo às empresas mais opções e uma oportunidade para atingirem os seus objetivos de
sustentabilidade.

Os VEs de hoje estão prontos para a incorporação nas frotas?
A maioria dos VEs espalhados pelas frotas, pertencem a classes leves e de passageiros, com uma exceção
notável dos autocarros. Isto deve-se, em grande parte, ao facto dos modelos existentes serem adequados para o seu uso. A maioria dos VEBs (veículos elétricos a bateria) mais recentes, têm um alcance entre 300-400km, o que significa que conseguem assegurar a maioria das necessidades diárias da operação com uma única carga.

Com as melhorias na tecnologia de carregamento, estes VEBs podem ser totalmente carregados durante a noite e estarão prontos para uso no dia seguinte.

A indústria com maior potencial de crescimento é a indústria da distribuição e entregas, com alta utilização e rotas previsíveis de distâncias mais curtas, os VEs parecem ser um ajuste natural. Em algumas das maiores frotas comerciais do mundo, os veículos de carga totalmente elétricos já estão a ser
usados:
• A Amazon encomendou 100.000 vans elétricos para serem implantadas entre 2021 e 2024;
• A expansão da “Frota Verde” da DHL é parte de sua meta de emissões zero até 2050;
• A UPS irá adicionar 2.000 Evs por ano à sua frota a partir de 2022.

Estas são apenas algumas das empresas que adotaram os veículos elétricos e muitas outras já se
comprometeram a explorar completamente os veículos com motor de combustão interna (VCI) durante a
próxima década.

A indústria mais complexa para a adoção destes veículos é a dos serviços pesados. No geral, a adoção de VEs tem sido mais lenta com veículos pesados, a entrega de longa distância ainda está nos estágios iniciais de eletrificação devido a desafios relacionados com capacidade de carga e alcance do veículo. No entanto, mesmo no mercado de camiões pesados existem várias opções de veículos, atualmente usados para transporte regional.

Além disso, o trânsito elétrico e os autocarros escolares tiveram avanços significativos e atualmente existem mais de meio milhão de autocarros elétricos em circulação. Mesmo que se situe um pouco mais atrás que outros setores, no que toca à adoção de Ves, o setor de transporte pesado está a tornar-se num foco de ação regulatória, pois é um contribuidor significativo para as emissões de gases de efeito estufa.

Quais os destaques regulatórios dos quais as frotas devem estar cientes?
Enfrentar a mudança climática está a tornar-se um foco mais global e, como resultado, os governos
implementam vários mandatos relativos ao transporte – taxas adicionais ou proibição de vendas de VCI,
limitação de áreas de circulação, ou definição de áreas com emissão zero. Embora todas essas iniciativas
tenham o mesmo objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa, os métodos e as datas-limite
variam por país, região ou até mesmo cidade.

Restringir a venda de veículos VCI é uma das leis mais comuns implementadas pelos governos, no entanto, existem diferentes abordagens para a sua execução. Por exemplo, a Noruega proibirá a venda de novos automóveis VCI de passageiros, veículos comerciais leves e autocarros até 2025. Nos Estados Unidos, o xplorer Joe Biden anunciou 50% ea participação nas vendas de veículos elétricos até 2030. No entanto, em alguns estados, introduziram uma proibição de VCIs de passageiros até 2035. A Califórnia adotou uma regra para eliminar gradualmente os camiões VCIs médios e pesados, juntamente com outros estados, declarando intenções semelhantes.

Outro método para encorajar a eletrificação é a restrição de áreas onde os veículos VCI podem operar,
normalmente imposto por governos locais. Muitas cidades europeias já têm ‘zonas de baixa e zero emissões’ ou ‘áreas de emissão zero’, às quais apenas veículos com emissões zero podem ter acesso.

À medida que o impacto dessas leis é reconhecido em países importantes como a Noruega, o Reino Unido e grande parte da EU, é provável que os vejamos como um modelo para que outros possam seguir o exemplo, como é o caso de Portugal. Para as frotas que desejam continuar a trabalhar nessas regiões, é compreender as regras individuais das cidades e países em que operam.

Quando é que frotas começam o planeamento da eletrificação?
Os prazos podem variar, mas uma coisa é certa – os Ves estão a ocupar o seu lugar bem rápido e vieram para ficar. Há muito a xplorerr para adicionar Ves e é fundamental que as frotas comecem a xplorer a eletrificação.
Isso começa com a compreensão das etapas gerais para a adoção de veículos e a seleção de um parceiro forte para apoiar toda a jornada de eletrificação.

O parceiro Geotab e o suporte à eletrificação de frotas
O suporte ao modelo VE significa que as frotas obtêm os insights de que precisam para operar os seus veículos com sucesso, não importa quais Ves que a frota escolhe. Através de um dispositivo Geotab, as frotas podem monitorizar os dados de carga da bateria em tempo real, o uso de combustível e energia, bem como todo o histórico de carga de seus VEs.

A Geotab também oferece uma série de ferramentas baseadas em dados para ajudar as frotas a entender melhor os VEs e a eletrificar sua frota com confiança.

Ferramentas complementares alimentadas pelo maior conjunto de dados para desempenho de VE do mundo real:
• Ferramenta de degradação da bateria do veículo elétrico – compare a degradação média da bateria
de várias marcas e modelos de Ves para entender melhor a vida útil do veículo;
• Ferramenta de temperatura – Veja o impacto da temperatura na variação diária de um VE;
• Avaliação de adequação de VE – analise os perfis e padrões exclusivos do motorista da sua frota para
identificar quais os veículos são adequados para eletrificação. Determine o potencial de economia de
custos e o impacto ambiental ao tornar-se elétrico.